Resenha: As Chamas do Paraíso, de Robert Jordan

Título: The Fires of Heaven

Autor: Robert Jordan

Publicação: 15 de outubro de 1993

Número de páginas: 963 páginas

Editora: Tor Books

ISBN: 9780812550306

“With his coming are the dread fires born again. The hills burn, and the land turns sere. The tides of men run out, ant the hours dwindle. The wall is pierced, and the veil of parting raised. Storms rumble beyond the horizon, and the fires of heaven purge the earth. Theres is no salvation without destruction, no hope this side of death.”

Quinto livro da série The Wheel of Time, The Fires of Heaven continua os eventos do quarto livro, The Shadow Rising (A Sombra Alastra). A obra não tem edições em português, pois aqui no Brasil somente os dois primeiros livros da série foram publicados e o terceiro está em (eterna) tradução. Em Portugal, a publicação da série foi interrompida sem prazo determinado, após o lançamento do quarto livro.

Deixando os problemas editoriais de lado, esse quinto volume é mais uma aula de fantasia épica. Robert Jordan realmente consegue te prender do inicio ao fim. O estilo de narração, porém, ainda segue o estilo mais lento do livro anterior, mas ganha mais ação do meio para o final.

O interessante é o autor colocar nos diálogos aparentemente mais inocentes e inofensivos, ou até nos mais bobos, frases e falas conspiratórias. Ouço muita gente, reclamar do estilo altamente descritivo do Jordan, principalmente nos livros que ainda estão por vir. Isso é algo que eu já tinha colocado em artigos anteriores. Neste volume não é diferente, mas mesmo assim a trama anda e muito.

The Fires of Heavens, na verdade, encerra os eventos do quarto livro e começa uma nova etapa na vida dos personagens principais. Muitas conspirações são descobertas, principalmente através do Tel’aran’rhiod ou Mundo dos Sonhos. Os Filhos da Luz se tornam uma ameaça cada vez maior. Um profeta que se diz o mensageiro do Dragão Renascido causa a maior confusão com os Filhos da Luz. Esse profeta é uma personagem que já apareceu na série e passa uma ideia do quanto as pessoas ainda enxergam o renascimento do Dragão como algo místico. O Profeta é um personagem bem interessante, que será melhor explorado nos outros livros, é difícil ainda dizer o que ele é, se louco ou um charlatão, mas a sua pregação em nome de Rand já gera graves conseqüências nesse quinto livro.

Quatro Forsaken aparecem conspirando contra Rand e a sua intenção de unir os reinos para Tarmon Gai’don. O interessante desse grupo de vilões é que um não confia no outro e sempre têm planos próprios contra os planos dos outros Forsaken. São extremamente ardilosos e alguns são sádicos, têm uma grande habilidade no uso do One Power e são tão fortes quanto Rand. Embora algumas vezes o autor dá a ideia de que Rand parece ser mais forte do que os Forsaken, só não tem a habilidade bem desenvolvida ainda.

O que me surpreendeu bastante na trama, porém, foi a personagem Elaida, do Ajah Vermelho, e sua intenção com Rand. Apesar de eu ainda ter minhas dúvidas quanto à personagem, acho que ela não pertence ao Ajah Negro, ou pelo menos essa é a ideia que o autor quer nos fazer pensar. De qualquer maneira o Ajah Negro ainda é uma ameaça.

No livro não faltam momentos tensos, principalmente aqueles que antecedem as batalhas, como também aqueles em que elas já ocorreram e nos são mostradas todas as conseqüências geradas pelos conflitos: cadáveres, locais destruídos, pessoas sem moradia, sem com o que se alimentar. Algo realmente bem triste. As batalhas porém são vistas mais pela perspectiva de Rand e Mat, mas não no estilo Tolkiano, mas não menos perfeitas. Algumas o autor só mostra a preparação, narra mais ou menos um momento e depois encerra a batalha.

A mudança das personagens é algo que eu gosto bastante nesse livro. Egwene surpreende na maturidade, parece mais determinada, mais adulta em seus modos e atitudes. O mesmo não acontece com Elayne, que apesar de toda a determinação e criação para ser uma rainha, ainda tem momentos em que se comporta como uma menina mimada. Nynaeve é também teve alguma mudança, mais em controlar seu temperamento. E Mat apesar de ainda adorar apostar com os seus dados, tem um conhecimento de guerra extraordinário e solta frases na Língua Antiga sem perceber.

Entretanto, é Rand quem nos impressiona com a sua mudança, é algo que faz sentido por tudo que ele vem enfrentando. Mas também, pela leitura percebe-se que parece ser um pouco da identidade de sua outra vida, de quando ele foi Lews Therin.  E há momentos, que eu acho bem perturbadores, em que os pensamento do rapaz não lhe são próprios, parecem ser mesmo de Lews Therin. O que nos faz pensar que a mácula da metade masculina do One Power está agindo sobre Rand, começando a enlouquecê-lo.

Termino esta resenha de um modo um pouco triste, pois nesse quinto volume, uma das personagens com destaque na trama, que colaborou bastante com Rand, acaba nos deixando. Foi uma perda que eu não esperava a primeira vez que li o livro e que me deixou bem brava com o autor. Enfim, o livro é excelente, um dos melhores da série e dá partida para o plano de Rand de tentar unir as nações e se prepará-las para Tarmon Gai’don. Ah, na parte final, Rand faz uma revelação bem interessante em relação a outros homens que podem canalizar o One Power. Eu adorei e era realmente algo que só podíamos esperar do Dragão Renascido.

Curiosidade: Perrin Aybara não aparece no quinto livro.

Observação: Os livros e a franquia da série The Wheel of Time pertencem a © Robert Jordan.

As expressões The Wheel of Time™ and The Dragon Reborn™, e o símbolo com a cobra e a roda são marca registrada de Robert Jordan.

.:.Abraços e até a próxima.:.

Sobre Cassy Teodoro

Fiel leitora de Stephen King. Fã de Supernatural, American Horror Story e filmes de terror. SJW. Green Ajah.
Esse post foi publicado em Fantasia e Ficção Científica, Resenhas, Romance e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

20 respostas para Resenha: As Chamas do Paraíso, de Robert Jordan

  1. Ois Cassy,

    Adorei ler o teu comentário, não tem grandes spoilers mas deixa-nos com imensa vontade de ler o livro, mas infelizmente só leio em português e sendo assim vou ter que esperar que a sorte mude por cá.

    Tambem ja tinha lido que este volumes estava num nível alto, para mim esta saga veio em crescendo, isto é, melhorando de livro para livro atingindo o auge no 4ª volume.

    BJS

    • Cassy disse:

      Obrigada, Fiacha. Fico feliz por ter gostado do meu texto. Realmente é uma pena, para não dizer uma falta de respeito com os fãs e leitores dessa série, que a editora aí em Portugal não quis mais publicar os livros. Aqui no Brasil, alguns leitores ainda têm a esperança de que o terceiro livro (e os demais) sejam publicados.

      Eu sei bem que nem todos podem ler em inglês ou outra língua estrangeira, mas com os meus posts espero poder mostrar para todos que existem outras ótimas séries de fantasia épica e The Wheel of Time é uma das melhores séries de fantasia já escritas e merece ser lida por todos os fãs do gênero.

      Mais um vez obrigada pela visita e volte sempre, amigo Corvo 😀

      Bjos

  2. Heitor disse:

    Eu já tinha ouvido falar dessa série, mas só recentemente tive curiosidade de checar, e PORRA! Que fantástico!
    Uma pena que assim como a amiga ai em cima meu inglês deixe muito a desejar e eu só possa acompanhar a série se por um milagre divino voltar a ser publicado em português.

    O que é uma pena, porque a editora, apesar de pequena até que vez um bom trabalho com o primeiro livro. E ainda por cima com uma série que parece ser uma das melhores que eu já li.

    • Cassy disse:

      De fato a série é ótima, para mim só perde para O Senhor dos Aneis. Vamos ver se a editora Caladwin acorda, né? Ou quem sabe outra editora possa adquirir os direitos e publicar a série na íntegra.

  3. heitor lucas disse:

    sera que alguem sabe alguma noticia sobre a editora caladwin. pois fiz o pedido dos dois livros da roda do tempo faz uns 20 dias e ja mandei uns 10 emails e não recebo nenhuma noticia.

    se alguem souber de algo, por favor deixe seu comentario.

  4. Cassy disse:

    Será que faliu?
    Isso abre novamente aquela nossa ideia de uma nova editora para a série 😀

    • Eu acho que sim.
      O site não é atualizado a mais de um ano e agora bugou de vez.
      Em catálogo eles tem 5 livros.
      Um cenário de RPG meia-boca que era mantido por uma revista e um site que ambos não existem mais. 2 livros aventura, que quando muito, custam 20 reias, e nem tenho certeza que foram eles quem lançaram. E os 2 livros do WoT.

      Pra mim, eles lançaram o livro achando que iriam ganhar dinheiro a rodo, mas como não tem filme, série ou HBO pra fazer festa em cima e chamar a atenção, somado ao fato de praticamente não ter havido divulgação da série e principalmente do lançamento do livro, eles acabaram falindo.
      As vezes acho que aqui teria acontecido o mesmo com ASOIAF se não fosse a série da HBO.

      • Cassy disse:

        É a Caladwin arriscou alto, mas não fez uma boa divulgação da série. Marketing é tudo nesses casos.

        Sem dúvida nenhuma a HBO ajudou MUITO no sucesso d’As Crônicas. Nem tem como negar isso. A série de livros em si é ótima, porém, sabendo como o nosso mercado editorial era mais voltado para outro tipo de gênero, sem a série de TV, ASOIAF teria vendido bem menos.

  5. heitor lucas disse:

    Galera obrigado pela atenção.
    a unica solução que eu estou vendo e entra com ação no procon, pois infeslimente os livos que comprei ja foram creditado no meu cartão.
    Tambem solicitei no “Reclama Aqui” o cadastramento da editora caladwin, pois assim o pessoal vai ficar informado que a editora caladwin esta sacaneando e desrespeitando os seus leitores.

    • Sem problema.
      Nós, nobres pessoas de nome Heitor, devemos nos unir.
      Mas não deixe que essa sacanagem te impeça de ler a série. Ela vale a pena!

      Peça pela Livraria Cultura. Lá demora pra chegar, mas chega e é mais certo de você receber os livros.

      Em ultimo caso, mesmo que a Caladwin sacaneie a cultura também, o seu dinheiro você não perde.

  6. heitor lucas disse:

    Pessoal a editora caladwin ja esta registrada no “Reclama Aqui”
    e minha reclamação ja foi postada. Espero que ela tenha a decencia de respondela. Se alguem quiser deixar seu comentario no “reclama aqui” agradeço.

  7. Pingback: Confirmado: a série The Wheel of Time será publicada no Brasil em 2013 | D R A G O N M O U N T B O O K S

Deixem o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s