Resenha: Alcatraz versus the Evil Librarians, de Brandon Sanderson

AlcatrazTítulo: Alcatraz versus the Evil Librarians

Autor: Brandon Sanderson

Publicação: 01 de outubro de 2007

Número de páginas: 224 páginas

Editora: Orion

ISBN: 9781444006728

Alcatraz versus the Evil Librarians é o primeiro livro da série Alcatraz, do autor norte-americano Brandon Sanderson. Em 2010, o livro ganhou a sua versão brasileira através da editora Benvirá, sob o título Alcatraz contra os Bibliotecários do Mal. Antes que perguntem, a edição lida para esta resenha foi a britânica, conforme vocês podem perceber pela ficha técnica acima.

No livro, o protagonista da série, Alcatraz Smedry, começa a nos contar as suas aventuras ao ter que enfrentar os temíveis Evil Librarians (Bibliotecário do Mal, na versão em português) e recuperar um pacote de suma importância para a sua família. A narrativa, portanto, desenvolve-se em primeira pessoa, dando um ponto de vista único, mas muito bem desenvolvido da situação. A narrativa, além de ótimas cenas de aventura e ação, contém muitos trechos nos quais Alcatraz interage com o leitor.

O livro também contém muitas cenas de humor, o que ajuda a amenizar a tensão de alguns trechos. Não é um humor piegas, voltado para o besteirol, ou mesmo um humor infantil, uma vez que o livro é voltado para um público juvenil. As cenas são hilárias justamente por serem desenvolvidas através da ironia, do sarcasmo e de situações das quais não se espera cenas mais assim. Mesmo assim, não é algo novo para mim, achei bem parecido com os livros que li do Rick Riordan, os das séries que têm o personagem Percy Jackson. Aliás, em certas partes da trama, o Alcatraz me lembrou muito o Percy Jackson, embora ambos tenham personalidades diferentes.

A história se passa no nosso mundo, conhecido como Hushlands. Os Hushlanders, que seriam nós, são constantemente enganados e manipulados por falsas informações plantadas em nossos livros, na mídia, em nossa história pelos Evil Librarians. Existe, claro, um lugar onde a influência dos Bibliotecários do Mal não alcança a população. E quem conhece o Brandon Sanderson sabe que o autor não perde tempo em fazer críticas de cunho social e político. Em Alcatraz isso não é diferente e é um dos motivos porque o livro pode ser lido por um adulto, pois há diversas referências e indiretas do autor à manipulação de informações e ao sistema politico em geral.

A trama traz ainda um interessante sistema de mágica e uma frase que me fez pensar se Alcatraz não poderia ser, mesmo não sendo um livro adulto, parte do universo Cosmere, ou pelo menos uma tentativa do Brandon em colocar a série nesse universo. Enfim, é pura especulação minha.

Recomendo, principalmente para quem curte leituras YA (Young Adult-Jovem Adulto) e para os fãs do Brandon, em especial.

Para os fãs de fantasia mais tradicional, não acho que o livro serve para conhecer o estilo do Brandon. Leiam Elantris ou a trilogia original Mistborn.

 .:.Abraços e até a próxima.:.

Anúncios

Sobre Cassy Teodoro

Administradora e resenhista deste digníssimo blog. Aes Sedai da Ajah Verde, Curadora das Crônicas da Torre Branca e fiel ao Lorde Dragão Rand al'Thor.
Esse post foi publicado em Eventos, Fantasia e Ficção Científica, Resenhas, Romance e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

10 respostas para Resenha: Alcatraz versus the Evil Librarians, de Brandon Sanderson

  1. Ois Cassi,

    Estou com vontade de começar a ler a trilogia Mistborn, vamos ver falta pouco.

    Acredito que seja uma boa leitura para quem já conhece bem o escritor e se estiver bem escrito penso que sea uma leitura agradavel, esta serie (Alcatraz)

    • Cassy disse:

      Sim, é uma leitura ótima. Com a dose certa de seriedade e humor. A editora respondeu ao lançamento de Mistborn aí dizendo que muito em breve. No site da SdE diz que será lançado no mês de junho. Espero que continue assim. E Malazan? Alguma notícia aí? Porque aqui, nada.

  2. Ois Cassi,

    Começo a ter serias duvidas que seja lançado o Eriksson, mas vamos ver, penso que ficou adiado para o Verão, quando começa assim rsrsrsr

  3. Paulo Henrique disse:

    Comecei a leitura de Elantris essa semana, e algo que me incomodou foi a inexistência, ou a ínfima existência, de um mapa (na versão brasileira da Leya). É só aquilo msm? Aquela figurinha de Yu-Gi-Oh? Ou é meu livro que tá errado? Pq se for só aquilo é muito descuido da editora e ridículo! Fiquei fascinado quando abri meu Mago – Aprendiz e encontrei um mapa independente 10x maior que os normais impressos nos livros. Isso me decepcionou a princípio. Mas pelo que li até agora, o livro é diferente do normal fantástico, o que eu aprovo muito.

    • Cassy disse:

      Paulo, eu não tenho a edição brasileira. Quanto ao mapa, na versão em inglês é somente um.

      • Paulo Henrique disse:

        É só um msm. O tamanho é que me incomodou. Gostou entrar no mapa quase que literalmente. Percorrer distâncias e saber que lugares eles exploram. Só que esse mapa é um pouco maior que uma carta de baralho. Se der, mando uma foto por inbox.

  4. Cassy, eu penso um pouco diferente de vc. Tipo, eu li os dois volumes que lançaram aqui em português (tive a sorte de a biblioteca aqui da cidade ter ganhado alguns exemplares), e fiquei com a impressão que os livros não são exatamente infanto-juvenis, pelo menos não da forma que a gente se acostumou, com crianças salvando o mundo e talz.

    Ao invés disso o #BrandonDivo literalmente viaja na maionese pra contar a história do Alcatraz, e é isso que foi o diferencial. Me pareceu que ele quis dar um presente pros leitores adultos que estavam acostumados com as obras dele. Eu ri pra caramba.

    • Cassy disse:

      Olá, Adriano! Não pensamos tão diferente assim. Eu tb achei o livro muito mais adulto do que juvenil. Eu coloquei as expressões “juvenil” ou “livro não adulto”, entre outras que não me lembro agora rsrs, porque é assim que a série é conhecida no mercado editorial. Eu gostei muito. Aliás, obrigada pela dica.

      • Haha, pois é. Agora preciso arranjar tempo pra ler os outros 2. Só que tou intercalando com os do WoT, Demon Cycle e ainda comprei alguns do Malazan. Se eu der sorte consigo mais pro fim do ano, hehe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s