[Edição Brasileira]: O Olho do Mundo

Olá, pessoal! Sim, queridos amigos, hoje posto a minha humilde, mas sempre sincera, opinião sobre a edição brasileira de O Olho do Mundo, primeiro livro da série A Roda do Tempo que voltou às livrarias brasileiras pela editora Intrínseca.

Como mencionei na matéria sobre Elantris, foi justamente um pedido para eu falar sobre O Olho do Mundo o que me deu a ideia de falar sobre outros livros que li em inglês e reli em português. A minha opinião é sobre a edição somente.  

A notícia do (re)lançamento da série aqui no Brasil – e através de uma editora que representa um grande nome no mercado editorial brasileiro – me deixou feliz. Infelizmente, eu não soube da outra publicação na época em que a editora ainda estava em atividade e para não virar uma saia justa para mim, para os donos da editora que nem existe mais e para a editora atual, fiquemos somente na edição da Intrínseca.

O anúncio da publicação de A Roda do Tempo foi noticiado pela própria editora no fim de 2012. (Leia o artigo aqui). E se por um lado, eu fiquei imensamente feliz, por outro me preocupei quando vi entre parenteses o seguinte: “A roda do tempo, título provisório”. Ok, já sabemos que a expressão está sendo de fato usada pela editora, mas lembro de ter ficado com um medo enorme de que a série ganhasse um nome totalmente bizarro. Conhecendo a Intrínseca, pois li alguns livros da editora antes de começar a ler ARdT, custei a acreditar que isso poderia acontecer e fiquei triste que parecia ser uma possibilidade justamente com uma das minhas séries de fantasia favoritas.

Creio que pode ter sido problemas relacionados aos direitos autorais a serem resolvidos pela editora na época. O que importa é que A Roda do Tempo foi mantido, assim como a tradução literal do título do primeiro livro. E em setembro de 2013, um mês depois do previsto, O Olho do Mundo finalmente foi lançado.

Eu vou voltar para os momentos anteriores ao lançamento, quando eu e os amigos do grupo A Roda do Tempo – WoT Brasil (Participem!) especulávamos sobre qual seria a capa do livro. Não sei vocês, mas eu adoro artes de capa. A cada anúncio de lançamentos seja aqui no Brasil, seja no exterior, além de ficar ansiosa para ter o livro em mãos (ou no Kobo), fico muito curiosa em saber como será a ilustração de capa.

Para mim a Intrínseca iria manter a tendência de utilizar a arte de capa das edições norte-americanas. Aliás, isso foi um motivo de boas discussões no grupo, pois a maioria dos leitores detesta as ilustrações do Darrell K. Sweet (que o Criador o tenha). Vários fãs, inclusive esta que vos escreve, fizeram uma campanha nas redes sociais da editora, em favor das capas dos ebooks da edição norte-americana.  Então, a editora nos brindou com isto:

Fonte: Goodreads

Fonte: Goodreads

A capa segue de fato o padrão britânico, ou seja, fundo preto, onde se vê perfeitamente destacados a ordem do livro na série, o nome da série, o nome do autor – bem destacado – o título do livro, a serpente e a roda do tempo, além da citação do New York Times e o logo da editora. Sobre a criação da capa, a editora esclareceu o seguinte:

O símbolo da Roda do Tempo com a Grande Serpente, ilustrado pelo Sam Weber, era uma unanimidade na editora, bem como a preferência pelas capas inglesas da saga. A arte de capa de O Olho do Mundo nasceu dessa soma, e, sim, esse será o padrão da série. (trecho da entrevista com a editora da série)

Eu gostei muito da capa. O nome do autor, a serpente e o pingo no i do logo da Intrínseca estão em tons dourados metalizados. Fiquei meio receosa que a tinta dourada saísse nos meus dedos durante a leitura, mas não aconteceu. O título do livro está em tinta comum de cor amarela clara.

Quem prestou bem atenção no símbolo da Grande Serpente enrolada na Roda do Tempo e der uma boa olhada na edição original britânica, notará uma diferença no estilo gráfico. Eu gostei bastante do símbolo da nossa edição e resolvi procurar de onde ele foi tirado. Descobri que ele pertence a uma das capas de From the two rivers, primeira parte da versão YA/Juvenil de O Olho do Mundo (imagem abaixo). O símbolo pode ser encontrado também como ilustração de papel de parede, basta procurar no seu site preferido de buscas por imagens.

From the two rivers capa

Fonte: Goodreads

O livro é um pouco pesado, afinal são quase 800 páginas. As folhas são amareladas no padrão da editora com uma fonte em tamanho um pouco menor do que o médio.

A edição brasileira contém os mapas da edição original, as citações do início da edição original, os ícones do começo de cada capítulo e o símbolo da série no fim de cada um, e o glossário. A frase que indica o fim do livro não foi reproduzida, mas há uma linda ilustração interna que me fez lembrar uma das primeiras cenas que se lê após do prólogo.

Sobre a tradução, que ficou a cargo do Fábio Fernandes, poucas coisas me desagradaram, entre elas: o termo Tenebroso e a falta do famoso sotaque do personagem Bayle Domon. Eu sei muito bem que é um sotaque difícil de se fazer sem que o personagem pareça um selvagem tentando falar a língua dos outros personagens e até há uma frase ou outra que lembra o uso do auxiliar do, muito usado pelo personagem em suas frases em inglês, mas ficaram parecendo uma tradução normal, sem qualquer indicação de que seja um sotaque regional.

Falando de uma forma geral, eu gostei bastante das traduções. Alguns termos que eu tinha enorme dúvida se ficariam bem em português, ficaram excelentes e bem condizentes com o texto. Um ótimo trabalho. Reparei que a Intrínseca se preocupou com uma revisão de tradução e isso demonstra o claro interesse da editora em dar ao leitor um texto de alta qualidade.

Eu recomendo a leitura e, aos amigos que já leram em inglês, vale muito reler a edição brasileira.

Para quem estiver interessado,  a minha opinião sobre o livro pode ser lida através deste link: https://dragonmountbooks.wordpress.com/2012/02/13/resenha-the-eye-of-the-world/.

Para mais informações: http://www.intrinseca.com.br/blogdasseries/2013/08/editora-da-serie-a-roda-do-tempo-responde-perguntas-dos-fas/.

Acessem também o site dedicado à série: http://intrinseca.com.br/arodadotempo/.

Fanpages dedicadas à série: A Roda do Tempo (Wheel of Time) e A Roda do Tempo – ARdT. Não sou administradora de nenhuma delas, pessoal.

.:.Abraços e até a próxima.:.

Sobre Cassy Teodoro

Administradora e resenhista deste digníssimo blog. Aes Sedai da Ajah Verde, Curadora das Crônicas da Torre Branca e fiel ao Lorde Dragão Rand al'Thor.
Esse post foi publicado em Curiosidades, Fantasia e Ficção Científica, Romance e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Por favor, deixem os seus comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s