Resenha: The Way of Kings, de Brandon Sanderson

The Way of Kings capaTítulo: The Way of Kings

Autor: Brandon Sanderson

Publicação: 31 de agosto de 2010

Número de páginas: 1007 páginas

Editora: Tor Books

ISBN: 9780765326355

The Way of Kings é o primeiro livro da série de fantasia épica The Stormlight Archive e os seus eventos ocorrem no mundo fictício chamado Roshar, onde o reino de Alethkar está em guerra com o povo Parshendi, mas boa parte da história se passa no local conhecido como Shattered Plains.

A narração acontece em terceira pessoa, o que ajuda a dar uma dimensão maior de todo o cenário e o que acontece com os personagens, porém, ao invés de um narrador principal, a trama se desenvolve tendo como base os pontos de vistas de vários personagens. O livro, porém, é mais focado no personagem Kaladin Stormblessed, que é um dos melhores personagens criados pelo Brandon e detalhes da sua vida são contados em forma de flashbacks que não tumultuam o entendimento do enredo principal.

Além dos capítulos principais, o livro possui alguns interlúdios com enfoque em outros personagens e em outros locais de Roshar. Em nenhum momento, os interlúdios atrapalharam a sequência narrativa da história principal e ajudam muito no entendimento de outros aspectos históricos e culturais de Roshar. Aliás, Roshar acaba sendo um personagem a mais no livro. Um mundo com características parecidas com alguns locais do nosso mundo real, porém criado de forma a ser algo totalmente novo, com fauna, flora e características climáticas próprias, além de uma população diferente, com seres humanos (ou pelo menos assim um dos personagens se identificou) e outras criaturas. Sem contar a linda parte história e lendária com aspectos filosóficos, sociológicos, antropológicos e religiosos que ajudam a compor o mundo de Roshar e fazem da cosmologia do autor, a Cosmere. Uma curiosidade: a forma do mapa de Roshar é baseada no Conjunto de Julia e isso foi desvendado por fãs no 17th Shard, fórum oficial do autor.

Roshar mapa

Mapa de Roshar, por Isaac Stewart Fonte: brandonsanderson.com

Sempre que se pega um livro do Brandon, pensa-se no que o autor inventou de sistema de magia, pois o Brandon já é conhecido pela sua criatividade em desenvolver sistemas diferentes de mágica em seus livros. Em The Way of Kings isso não é diferente, mas ficou um pouco mais complexo, tendo em vista que o autor planeja dez livros para série e não seria no primeiro que teríamos tudo explicado. Mesmo assim, eu adorei conhecer. No livro é mais mostrado do que explicado, mas dá para se der uma ideia do que acontece, embora eu tenha ficado cheia de dúvidas.

No final do livro, após o término da história, o autor colocou um Ars Arcanum onde ele explicar alguns conceitos e detalhes do sistema de mágica. Vale a pena ler, obviamente, após a leitura completa da história. Sobre os sistemas em si, não vou entrar em detalhes de como funcionam, pois a leitura do livro vai ser a melhor forma para conhecê-los. Vale notar que o autor usa algo bem simples para criar um sistema interessante e ao mesmo tempo com uma certa complexidade.

O desenvolvimento do enredo é maravilhoso e mostra bem o quanto o autor progrediu em sua forma de escrever, mas o Brandon não perdeu a sua característica de conseguir passar muita informação de uma forma bem mais direta do que outros autores de fantasia. Há certos detalhamentos, uma vez que Roshar é um cenário mais bem desenvolvido do que os demais mundos criados pelo autor, mas nada que deixe a leitura mais lenta. Aliás, a edição do livro, aqui quero dizer o trabalho de edição, está de parabéns, pois os capítulos e os interlúdios estão muito bem dispostos e criam uma forma perfeita de se contar a história.

Kaladin Stormblessed

Kaladin e Syl, personagens de The Way of Kings Fonte: 17th Shard

Aliás, o livro em si é uma obra fascinante, não só pela história, mas pela bela edição da editora Tor Books. Além de mapas, o livro tem ilustrações internas, o Ars Arcanum mencionado acima, e cada capítulo possui uma ilustração que te ajuda a saber a quem pertence o ponto de vista a ser lido.

Ainda sob o desenvolvimento do enredo, não posso deixar de destacar os interessantes aspectos culturais de Roshar. Há um sistema de hierarquia social baseado na cor dos olhos, bem interessante, apesar de ter sido bem óbvio onde o autor queria chegar criando um sistema assim, acho que por isso ele acabou criando uma espécie de divisão dentro desse sistema. E há um sistema cultural que retrata uma diferença de tratamento e até função dos homens e mulheres. Ficou claro que a cultura varia de local para local em Roshar e que parece haver questões históricas próprias de cada lugar.

The Way of Kings

Arte de capa de The Way of Kings, por Michael Whelan

Como obra dentro do universo criado pelo Brandon Sanderson, parece que será o principal meio do autor trazer aos seus leitores mais sobre a sua cosmologia, embora a Cosmere tenha ainda Elantris e as suas sequências que ainda estão por vir, a série Mistborn, o romance Warbreaker, além de outras obras planejadas pelo autor. Eu li sem me atentar para ordem de publicação e não tive quaisquer dificuldades na compreensão da trama, porém há um número de leitores que prefere seguir a ordem na qual os livros mencionados acima foram publicados.

Infelizmente, não há informações sobre o lançamento do livro no Brasil.

Termino esta resenha, deixando a minha recomendação da leitura de The Way of Kings, torcendo para que vocês gostem tanto quanto eu gostei. E lembro a vocês para curtirem a página Brandon Sanderson BR lá no facebook e participar do grupo de leitores Brandon Sanderson Brasil, também no facebook.

Atualização: pessoal, vou deixar dois links mencionados em nos comentários, para quem quiser conhecer mais do mundo do Brandon Sanderson:

1.http://www.17thshard.com/forum/

2.http://stormlightarchive.wikia.com/wiki/Stormlight_Archive_Wiki.

Ambos são ótimas fontes de consulta e servem para esclarecer algumas dúvidas, em contrapartida existem muitas informações que podem ser consideradas spoilers, portanto, tomem cuidado, e o idioma é o inglês.

E o site do autor:  http://brandonsanderson.com/.

.:.Abraços e até a próxima.:.

Sobre Cassy Teodoro

Administradora e resenhista deste digníssimo blog. Aes Sedai da Ajah Verde, Curadora das Crônicas da Torre Branca e fiel ao Lorde Dragão Rand al'Thor.
Esse post foi publicado em Fantasia e Ficção Científica, Resenhas, Romance e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para Resenha: The Way of Kings, de Brandon Sanderson

  1. Otima resenha Cassy, um dos meus livros favoritos.
    Para quem tiver interesse no universo dos livros de Brandon Sanderson recomendo os sites: http://www.17thshard.com/forum/ e http://stormlightarchive.wikia.com

  2. Hey gostei muito do seu blog, você escreve bem. Gostaria de te convidar a conhecer o meu também, obrigado.

  3. Ois sem duvida que o comentario está muito bom, espero que venha a ser publicado por cá🙂

    bjs e boas festas

  4. Juliano disse:

    Olá Cassy, você comprou esse livro por algum site brasileiro ou pela Amazon mesmo?

  5. Pingback: Brandon Sanderson agora é da Aleph | .:.Dragonmountbooks.:.

Por favor, deixem os seus comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s