Resenha: Last Argument of Kings, de Joe Abercrombie

Last Argumento of Kings capaTítulo: Last Argument of Kings

Autor: Joe Abercrombie

Publicação: 2008

Número de páginas: 636 páginas

Editora: Pyr

ISBN: 9781591026907

Last Argument of Kings é o terceiro e último livro da trilogia The First Law, publicada no Brasil e em Portugal sob o título A Primeira Lei.  No Brasil, Last Argument of Kings  foi publicado pela editora Arqueiro, sob o título O Duelo dos Reis, já em Portugal o livro foi publicado pela editora 1001 Mundos, sob o título A Coroa. Independente de qual seja a edição lida, a leitura da trilogia é altamente recomendada, em especial para os fãs do gênero Grimdark.

O livro, embora ainda apresente algum desenvolvimento da trama, em especial em relação à situação política da União, às conspirações e às intrigas, possui características narrativas típicas de um encerramento de série. Ao leitor é mostrado aqui que já se espera de um último livro: as consequências de todas as ações e acontecimentos narrados nos livros anteriores.

É uma história onde se percebe que o autor preferiu se manter em um campo seguro, usando bem as ações e acontecimentos mostrados nos livros anteriores, em especial aquelas apresentadas no primeiro livro, por isso muito do que se vê em O Duelo dos Reis não chega a surpreender, o que não quer dizer que o autor não tenha os seus méritos como contador de histórias.

Desde o primeiro livro se vê exatamente que o desfecho não poderia ser diferente e inventar uma situação totalmente fora de contexto estragaria o bom trabalho do Abercrombie, especialmente em se tratando do encerramento da trilogia. O autor passa ao leitor de forma brilhante todo o sentimento dos personagens e de toda a situação narrada na história.

Mesmo assim, alguns trechos do livro, devo dizer uns 40% da história não me fizeram sentir a mesma empolgação que senti na leitura dos dois primeiros livros. Pode ser que o sentimento de fim de trilogia tenha sido o grande responsável por eu não ter gostado tanto deste último livro. Pode ser que a escrita do Abercrombie é tão magnífica que a sua intenção tenha sido justamente desperta no leitor uma empatia limitada, daquela na qual parte do livro não te causa nada. Pode ser que o livro, por narrar uma atmosfera totalmente densa e intensa, tenha criado em mim um sentimento tal que não senti nada em relação ao que era narrado.

Não estou dizendo que é um livro ruim, muito menos mediano. Dizer isso de um livro do Abercrombie seria praticar um crime hediondo dentro da literatura, mas tenho que ser honesta e dizer que não me senti envolvida durante a leitura de determinados trechos do livro. Para mim não foi um problema de violência gráfica ou gratuita, adoro esse tipo de cena, e o autor não apela para a violência gratuita, apenas não me senti envolvida com parte da trama. Eu acho que alguns trechos, devido a importância que pareciam representar para a trama, mereciam ser mais bem trabalhados, uma vez que o livro ainda apresenta um desenvolvimento de trama, como mencionei acima.

O livro só não foi uma decepção completa, porque boa parte da história, principalmente aquela na qual os personagens são o foco da narração, me agradou muito. As conspirações e intrigas, a manipulação política, a traição e a lealdade, e as consequências de tudo isso dentro do jogo político da União foram mostrados com um realismo impressionante, embora sejam temas repetitivos dentro do gênero fantástico.

Não reconhecer que o Joe Abercrombie com A Primeira Lei mudou a forma como se vê a fantasia e, em especial, a fantasia sombria, seria uma injustiça, porém, pelo que o autor apresentou nos dois livros anteriores, acho que O Duelo dos Reis poderia ter sido escrito de uma forma melhor. O livro dentro do gênero é uma obra-prima, mas dentro da trilogia, por ser o desfecho da série, embora satisfatório, não foi o que eu esperava de um escritor do talento do Joe Abercrombie. Ainda assim, o livro cumpriu o seu papel e deu o fim que a trilogia merecia e me deixou com vontade de ler os demais livros do autor.

.:.Abraços e até a próxima.:.

Sobre Cassy Teodoro

Administradora e resenhista deste digníssimo blog. Aes Sedai da Ajah Verde, Curadora das Crônicas da Torre Branca e fiel ao Lorde Dragão Rand al'Thor.
Esse post foi publicado em Fantasia e Ficção Científica, Resenhas, Romance e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Resenha: Last Argument of Kings, de Joe Abercrombie

  1. Maurilei disse:

    Estou com a trilogia completa na estante, mas ainda não li nenhum. Vou tentar ler o primeiro da série este ano ainda !

    bomlivro1811.blogspot.com.br

  2. Fábio Albergaria Queiroz disse:

    Cassy, ótima resenha, apesar de eu não ser fã do Abercrombie. Acho que devo ser o único, mas não gostei nem um pouco do primeiro livro, apesar de adorar o gênero dark. Tirando poucas partes de ação, não me empolguei. Ainda estou avaliando se dou uma chance ao segundo livro da série.

    • Cassy Teodoro disse:

      Fábio, foi esse sentimento, essa falta de empolgação que eu senti lendo o terceiro livro. Eu acho que vale a pena ler a trilogia, mas, no seu caso, somente se vc não tiver outra coisa para ler.

  3. Fiacha disse:

    Ois Cassy,

    Gostei do teu comentário e nada como dizermos o que pensamos. Eu modo geral adorei ler esta trilogia só tenho pena que não continuem a publicar por cá mais livros do escritor, iria ler seguramente.

    Espero que continuem a publicar por ai, quem sabe ainda tenho esperança de ler em formato digital🙂

    Bjs e boas leituras

    • Cassy Teodoro disse:

      Olá, amigo Corvo! Eu tb gostei da trilogia como um todo, mas acho que o Abercrombie poderia ter dado um desfecho melhor para trilogia, não me refiro à falta de um final feliz, que achei bacana, embora não tão surpreendente, mas a narrativa estava tão diferente do que o Abercrombie fez nos livros anteriores. Parecia que ele queria terminar o livro logo. rsrs

  4. Thiago disse:

    Concordo com sua análise do livro e acrescento que a fraca tradução ajudou a criar esse sentimento de certa decepção com o fim da história. Perdi a paciência com a quantidade de vezes que vi gorgolejos e testas franzidas. De qualquer forma acho que esse sentimento também se relaciona à extrema tristeza que encerra o livro (realismo?). Acabei de terminar o terceiro volume e achei seu texto. Precisava desabafar. Obrigado e boa noite.

    • Cassy Teodoro disse:

      Olá, Thiago! Eu me senti aliviada com o seu comentário, pq eu prezo muito a honestidade na hora de fazer as minhas resenhas e detestaria escrever algo que não é verdade só para se sair bem diante essa ou aquela editora brasileira, ainda mais tendo lido o livro original. Enfim, gostei da trilogia no todo, mas livro a livro o autor se perdeu, na minha opinião. Mesmo assim, quero ler outros livros do autor – não quando, mas quero – e ver o quanto ele cresce como escritor.

      Estava pensando em começar a ler ou reler algumas obras traduzidas, mas pelo seu comentário e outros que vi nas redes sociais, desisto. rs

      Abs!

Por favor, deixem os seus comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s