Resenha: A Menina Submersa – Memórias, de Caitlín R. Kiernan

a menina submersa capaTítulo: A Menina Submersa: Memórias

Título original: The Drowning Girl: a memoir

Autora: Caitlín R. Kiernan

Publicação: 2014

Número de páginas: 320 páginas

Editora: Darkside Books

ISBN: 9788566636253

No livro conhecemos Imp, apelido de India Morgan Phelps, uma jovem que decide escrever uma história, uma história de fantasmas com uma sereia e um lobo.

Ao longo da história o leitor é levado a entrar nesse mundo confuso e não muito crível da história de Imp, que misturas realidades e devaneios da mente da personagem, frutos de sua condição mental. A história mistura a obsessão de Imp com o quadro A menina submersa, a história da Chapeuzinho Vermelho, o intrigante assassinato e fatos da sua vida, em especial após encontrar e ajudar uma outra jovem chamada Eva Canning.

Eu não vou dar uma de culta e super intelectualizada a ponto de dizer que a história é narrada de forma confusa porque o leitor tem que entrar na mente da Imp. Isso qualquer um que leia as primeiras páginas do livro percebe, mas não dá para negar que a confusão na narrativa, embora interessante e intrigante, fez com que eu abandonasse o livro por um tempo após a leitura de apenas dois capítulos.

Retomando a leitura, percebi que a história flui muito bem do terceiro até o sexto capítulos, que mostram um bom desenvolvimento da história. Porém, nos dois capítulos, seguintes, cuja a importância para a trama está muto evidente, achei que novamente a narração ficou um pouco massante.

Acho que o problema foi eu ler querendo entender o sentido de tudo que era narrado, tentar entender o que afinal de contas a Caitlín queria contar ao seu leitor, por que tudo estava sendo contado daquela forma, quando o livro deve, penso eu, ser encarado como uma narrativa não crível, na qual o narrador pode estar mentido tanto pela sua condição mental, como de forma deliberada, para abrilhantar a história.

Eu não sei o que achar da história, na verdade. Gostei da leitura, mas não achei a obra da minha vida. Porém, eu gostei de conhecer o trabalho da Caitlín e do desafio que foi ler esse livro em determinados trechos, as especulações que se formavam na minha mente durante a leitura e o prazer de ver algo que realmente me deixou intrigada em diversos momentos, mesmo que no fim, o livro tenha sido apenas bom e não aquele tipo de livro que dá vontade de reler assim que fechamos a primeira leitura.

Não enxerguei o tal terror (ou mesmo horror) que tanto anunciaram que o livro tinha. Acho que sou muito insensível para esse tipo de coisa. Só pode! Sim, há um mistério ali, um suspense acolá, mas nada que eu não tenha visto em outros livros e muito mais bem escrito e contextualizado. A escrita da autora não é ruim e a Caitlín não é uma escritora nova no mundo literário, acho que por isso esperei tanto do livro e pelo fato de ter ganho o prêmio Bram Stoker e não achei uma obra-prima do gênero.

Não sei se recomendo. Talvez para aquele tipo de leitor que não costuma fazer planejamentos e só escolhem o próximo livro após a leitura do anterior. No entanto, acho que vale a leitura, vai que o livro vire aí a obra literária da suas vidas (Sem ironia aqui. Juro!).

Por fim, devo agradecer a Darkside Books pela linda edição, mostrando o quanto a editora capricha em seus livros. A edição que eu li é aquela em capa mole, mas contém ilustrações no começo e no fim do livro e um lindo trabalho gráfico nos capítulos.

É isso.

.:.Até mais, gente!.:.

Anúncios

Sobre Cassy Teodoro

Administradora e resenhista deste digníssimo blog. Aes Sedai da Ajah Verde, Curadora das Crônicas da Torre Branca e fiel ao Lorde Dragão Rand al'Thor.
Esse post foi publicado em Fantasia e Ficção Científica, Resenhas, Romance, Suspense/Terror e marcado , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Resenha: A Menina Submersa – Memórias, de Caitlín R. Kiernan

  1. Danielle Viturino disse:

    Eu tenho esse livro mas com aquela edição linda de capa dura da Darkside. Só que ainda não li.. estou com medo de não gostar e acabar com o encanto do livro.

    • Cassy Teodoro disse:

      Oi, Danielle! Eu vi essa edição em capa dura e é linda mesmo. Quanto a gostar, é uma coisa subjetiva. Eu gostei, mas não achei uma obra-prima e apesar de todo o mistério, acho errado dar ao leitor a ideia de que o livro é aquele terror/horror clássico.

  2. Barbara M. disse:

    Eu realmente não gostei desse livro. Até fiz uma resenha na época. Acho que criei muitas expectativas de que fosse excelente. :/

    • Cassy Teodoro disse:

      Assim, eu não desgostei, mas também não achei esse coisa toda que as pessoas comentam, principalmente pelo gênero literário que é mencionado na maioria das resenhas. Talvez a minha expectativa também tenha sido alta demais.

  3. fiacha disse:

    Ois,

    Se tiver oportunidade de ler, quem sabe mas não sei se fará o meu genero e ser algo descritivo não me agrada muito, embora reconheça que por vezes seja necessário,

    Abraços e boas leituras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s