Resenha: Beyond the Shadows, de Brent Weeks

Beyond the Shadows capaTítulo: Beyond the Shadows

Autor: Brent Weeks

Publicação: 2008

Número de páginas: 708 páginas (com extras)

Editora: Orbit

ISBN: 9780316033664

Finalizando mais uma série, posto para vocês hoje a resenha do terceiro e último livro da trilogia The Night Angel, Beyond the Shadows.

Antes uma lembrança: a série começou a ser publicada aqui no Brasil pela editora Arqueiro, com o lançamento de Caminho das Sombras, cuja resenha da edição original, obviamente, já foi publicada aqui neste blog.

Em Beyond the Shadows temos o momento derradeiro da série; e como último livro, o leitor sempre espera algo acima da média dos primeiros livros, com diversas cenas épicas, momentos dramáticos e super tensos. Não é que não exista trechos assim, mas a trilogia desde o seu início já possuía tais momentos, embora alguns não tão bem contextualizados pelo autor quanto eu esperava.

Como último volume, o livro faz o seu papel de encerramento e nada mais. A série continua, para mim, sendo média, ou seja, uma boa série e só. O autor, embora esclareça algumas dúvidas surgidas nos primeiros livros, ainda deixa e muito a desejar em outros pontos da história.

Por diversas vezes durante a leitura do livro – e também de toda a série – a impressão que tive é que estava diante de algo que deveria conter mais do que três livros e por algum motivo o autor ou a editora, tentou encaixar a história em uma trilogia, fazendo com que a trama parecesse cortada e fora de contexto em alguns momentos.

Não bastasse isso, o autor ainda quebra a expectativa do leitor, narrando cenas nas quais certos personagens não fazem parte, para em seguida, em outra parte do capítulo ou em outro capítulo, os tais personagens terem plena consciência dos fatos dos quais nem participou. Vejam bem, não estou dizendo que é falta de técnica, o que quero dizer é que tal manobra de escrita para mim não funcionou. Aliás, soou bem forçado, para não dizer piegas, em muitos momentos.

Outro ponto que não gostei muito, foi a falta de uma melhor cobertura quanto ao cenário. Isso porque o autor diversas vezes se refere a locais diferentes, descreve, mesmo que muto rápido, a aparência, costumes e cultura de outros locais do mundo onde se passa a trilogia, além de mencionar países e cidades, mas sem dar ao leitor uma oportunidade de conhecer de fato o mundo criado por ele.

Outra coisa foram os diálogos. Achei muitos diálogos bobos, em especial aqueles em relação a momentos mais tensos do livro e que, portanto, mereciam mais cuidados. Aliás, acontece em todos os três livros.

(Não faço ideia de como ficou em português, pois há quem acredite que a tradução melhora a escrita do autor. Inclusive, foi o que li no comentário de um certo aspirante a escritor em um grupo literário do qual fiz parte no facebook. Enfim, espero que melhore sim e que vocês tenham essa trilogia como a série da vida de vocês)

Quero deixar claro que, apesar desses aspectos negativos apontados acima, a história tem seus momentos divertidos sim e entretém. Os personagens, apesar de merecem um melhor aprofundamento, são carismáticos. A história tem uma premissa bem interessante, o sistema de magia, embora merecesse um melhor tratamento, é bem intrigante e as questões políticas, mesmo sendo um cliché, são bem trabalhadas na maioria das cenas.

Beyond the Shadows é o tipo de desfecho que a trilogia merecia, por tudo contado pelo autor.

Antes de finalizar, quero deixar claro que, durante a leitura, em nenhum momento, comparei a ideia, a narrativa e o estilo de escrita do Brent Weeks com outros autores. Aceitei aquilo que o Brent me ofereceu em sua história, respeitei a suas escolhas de foco narrativo e a sua forma de explorar aquilo que ele se propôs a contar. A questão é que não sou obrigada a gostar de 100% do que ele escreveu. Ninguém é.

Para finalizar, deixo a recomendação dessa trilogia para aqueles fãs do gênero Dark Fantasy/Gritty/Grimdark, ao qual o livro pertence, pois seriam leitores mais acostumados com o tipo de enfoque dos autores desse gênero. Para quem busca algo mais tradicional, fica o alerta de que o autor não enfoca muito em worldbuilding e o sistema de magia não tem aquele detalhamento esperado por muitos leitores em tais livros.

Ainda, para quem acompanha ou pode ler a série em inglês, o autor escreveu o conto prelúdio Perfect Shadow, que retrata um pouco sobre a origem de Durzo Blint, além de dar enfoque ao personagem Gaelan Starfire, e o conto I, Night Angel, que se passa após os eventos da trilogia e deixou alguns leitores esperançosos por novos livros da série.

.:.Até mais, gente!.:.

Sobre Cassy Teodoro

Administradora e resenhista deste digníssimo blog. Aes Sedai da Ajah Verde, Curadora das Crônicas da Torre Branca e fiel ao Lorde Dragão Rand al'Thor.
Esse post foi publicado em Fantasia e Ficção Científica, Resenhas, Romance e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Por favor, deixem os seus comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s