Resenha: Equal Rites, de Terry Pratchett

Equal Rites coverTítulo: Equal Rites

Autor: Terry Pratchett

Publicação: 1987

Número de páginas: 288 páginas

Editora: Transworld Digital

ISBN: 9781407034478

Esta resenha foi publicada originalmente no extinto blog Escotilha Literária.

Terceiro livro (na ordem de publicação) da série Discworld e primeiro livro do arco The Witches.Equal Rites conta a história da garota Eskarina Smith que parte de sua cidade natal, Bad Ass, com a bruxa loca, Granny Weatherwax para ingressar na Universidade Unseen. Só tem um problema, a universidade, que foram magos, não tem a tradição de aceitar mulheres.

Eu não vou fazer e acho que nem há a necessidade de se fazer um discurso sobre machismo e misoginia na nossa sociedade. Vários autores, homens e mulheres, já escreveram textos maravilhosos abordando o tema, seja como tópico principal da trama, seja como parte da trama. Muitos para serem publicados tiveram que mudar o sexo de seus personagens de mulheres para homens.

O que Pratchett faz em Equal Rites, através de sua ótima narrativa, é mais uma vez mostrar que ainda, na época do livro, existiam casos nos quais a mulher não era admitida em determinados locais ou setores, simplesmente por ser mulher. E mais: a mulher que tentasse provar que não servia só para procriação, limpar a casa, cuidar de filhos e ser curandeira (daí que o Pratchett tirou as bruxas da sua série), eram motivo de piada e chacota dos homens, e até de outras mulheres.

E ver, neste livro, uma menina de apenas nove anos já aprendendo o que é ser desmerecida por ser mulher, apesar da narrativa cheia de humor do Pratchett, é bem triste. Mesmo porque, os trechos nos quais acontece os atos machistas não são narrados na forma de humor. E nem poderiam. Não é fácil ser preterido por razões inerentes ao ser humano, seja cor de pele, sexo, sexualidade e que nada apresentam de errado a não ser para aqueles que assim enxergam sem nenhum argumento plausível a não ser puro preconceito. O autor acertou em cheio ao narrar sem qualquer humor os momentos nos quais a personagem passava por esse momento horroroso que era ser preterida por ser uma menina.

Boa parte do livro serve para mostrar a ida da Eskarina e o que ela testemunha nos locais onde faz suas paradas. Ela está acompanhada da Granny Weatherwax que é uma bruxa e mostra que as mulheres podem sim manipular a magia, mas preferem não fazer, afinal, não terão a chance de aprender como desenvolver melhor o uso da magia.

O livro também aborda, além da indignação da personagem em ser preterida por ser mulher, a questão da garra e da força de vontade em se mostrar uma pessoa capaz, independente do sexo. O que eu achei bem importante para tornar a história mais consistente. Não é ficar somente nos fatos que te fazem sentir pena de um/a personagem, mas vê-lo/a dar a volta por cima, mostrar o seu valor.

Livro recomendadíssimo para aqueles que tem algo muito simples de exercitar no nosso dia a dia: respeito.

.:.Até mais, gente!.:.

Sobre Cassy Teodoro

Administradora e resenhista deste digníssimo blog. Aes Sedai da Ajah Verde, Curadora das Crônicas da Torre Branca e fiel ao Lorde Dragão Rand al'Thor.
Esse post foi publicado em Fantasia e Ficção Científica, Resenhas, Romance e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Por favor, deixem os seus comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s