Resenha: Pyramids, de Terry Pratchett

Pyramids coverTítulo: Pyramids

Autor: Terry Pratchett

Publicação: 1989

Número de páginas: 368 páginas

Editora: Harper Collins

ISBN: 9780061807206

Sétimo livro da série Discworld. A trama volta a ser ambientada em Ankh-Morpork, mais especificamente na Guilda de Assassinos, onde encontra-se o jovem aprendiz Teppic em seus exames finais, mas alguns fatos estranhos farão com  que o jovem tenha que voltar para a sua terra natal Djelibeybi.

O Teppic é um nativo de Djelibeybi que passa boa parte de sua vida em uma cultura completamente diferente da sua terra natal e ao voltar, o choque cultural é inevitável. Some-se a isso, o fato do jovem ainda ter que lidar com importantes assuntos do reino, além de tentar a todo o custo se encaixar em cada um dos aspectos culturais, políticos e religiosos referentes à sua nova situação.

E muito do que acontece é muito bem apresentado pelo autor no quesito do exagero do ser humano e da rigidez cultural representada pelo personagem Dios, o sacerdote do reino, que não aceita mudanças, mudanças essas trazidas por Teppic em sua forma de ver as coisas devido à sua cultura diferenciada.

Preciso falar aqui que o autor em nenhum momento faz a cultura de Ankh-Morpork ser ou parecer melhor do que a cultura de Djelibeybi. Fica muito clara a intenção de mostrar o exagero nas acepções humanas de tradição ou de manter certas tradições. Na verdade, o Tery Pratchett usa muito bem todo aquele mistério e misticismo que envolve a cultura do Egito Antigo, trazendo momentos muito interessantes para trama, recheado de humor sim, mas tratados do modo sério no momento em que a trama pede algo mais sério.

Uma coisa que preciso falar aqui, apesar de estar bem no começo da série, é o fato de mesmo em uma série baseada em diversas outras e muitas vezes, tida como uma paródia dessas outras séries, o autor conseguir colocar certa dose de realismo. Ainda, consegue criar o seu próprio mundo, ou seja, mostra situações próprias de Discworld, criando assim uma obra bem diferente das outras já escritas e publicadas, mesmo contendo certos elementos em comum.

O que quero dizer é que vejo um número elevado de leitores de fantasia falarem em realismo desse ou daquele autor, mas com a corroboração de certas cenas, muitas vezes exageradas, de degradação humana, degradação da mulher, cenas de sexo, seja consentido ou não, e palavreado chulo, e o Terry Pratchett consegue explorar alguns desses elementos sem precisar usar desses recursos, usando apenas o humor, de forma ácida, diga-se, mas que abre muito mais os olhos do que qualquer outra série realista que li.

Não estou aqui falando mal das outras séries, muito pelo contrário, acho válida qualquer forma de mostrar o quanto o ser humano pode ser desprezível e cruel com a sua própria espécie e o quanto é mais fácil ser assim, mas ler uma obra que se vale do humor para mostrar tudo isso, para mim, é muito mais impressionante, porque nós rimos daquilo que sabemos ser real. E aqui é real mesmo! Não é um realismo ficto como acontece em outras obras. Diversas cenas dos livros que li até agora, contém sim coisas muito próprias da nossa sociedade, em especial dessa cultura hipócrita ocidental na qual vivemos. (Veja bem usei a expressão hipócrita ocidental e não ocidental hipócrita, portanto, está bem claro o que quero criticar aqui.)

Para finalizar, deixo a minha recomendação da leitura do livro e da série, lembrando a vocês que o Pyramids foi publicado aqui no Brasil pela editora Conrad, sob o título Pirâmides e que não é necessário leitura prévia da série para entender o que se acontece na trama.

.:.Até mais, gente!.:.

Sobre Cassy Teodoro

Administradora e resenhista deste digníssimo blog. Aes Sedai da Ajah Verde, Curadora das Crônicas da Torre Branca e fiel ao Lorde Dragão Rand al'Thor.
Esse post foi publicado em Fantasia e Ficção Científica, Resenhas, Romance e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Resenha: Pyramids, de Terry Pratchett

  1. Amiga Cassi,

    Antes demais espero que esteja tudo bem contigo e as minhas desculpas por esta minha ausência, mas com o tempo prometo que virei visitar com mais regularidade este espaço que tanto gosto.

    Este escritor é genial e tenho pena que a SDE tenha deixado de publicar os seus livros, mas quem sabe um dia não venha a apostar em ler no formato digital.

    E com esse comentário só fiquei com vontade de voltar ao escritor rsrs

    Bjs e tudo de bom🙂

    • Cassy Teodoro disse:

      Olá, amigo Corvo! Que isso! Entendo perfeitamente. Olha, essa série é ótima, pensei que aí já tinham publicado essa série, ou pelo menos aquele livro que o Pratchett escreveu junto ao Neil Gaiman. Enfim, acho que pela editora nova, a Bertrand Brasil, é possível ler na versão digital a partir do livro 13, mas não tenho certeza.

      E comigo está tudo ótimo, obrigada!🙂

Por favor, deixem os seus comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s