Resenha: A Descida Final, de Rick Yancey

a descida final capaTítulo: A Descida Final

Título original: The Final Descent

Autor: Rick Yancey

Publicação: 2016

Número de páginas: 347 páginas

Editora: Farol Literário

ISBN: 9788582770900

Espetacular e tocante é o que posso dizer, em poucas palavras, para descrever tanto a série O Monstrologista, de forma geral, como A Descida Final, livro que encerra de maneira magistral esta belíssima fantasia gótica. E pensar que tudo começou por acaso quando, por conta de uma promoção, comprei o primeiro livro desta tetralogia. E logo no passar das primeiras páginas soube que estava diante de uma daquelas séries que marcam e perduram por anos na mente do leitor. E que grata surpresa ela foi!

Por isso, caros amigos viciados em livros, caso vocês ainda não conheçam este trabalho do premiado escritor Rick Yancey, autor, dentre outras obras, da série A Quinta Onda e Alfred Kropp, recomendo vivamente que vocês deem uma chance a ela, pois, valerá cada minuto de seu tempo. Não pretendo voltar a falar das linhas condutoras da série, até porque os três livros anteriores – O Monstrologista; A Maldição do Wendigo e A Ilha de Sangue – já foram resenhados aqui no blog.

Contudo, vale a pena ressaltar, apenas para situá-los, que nossa jornada começa quando o Dr. Pellinore Warthrop, o maior monstrologista de sua época, e Will Henry, seu fiel assistente, percorrem o mundo em busca de seres devoradores de homens, muitas vezes considerados produtos da mitologia e do folclore. E é interessante como o foco da série mudou até chegarmos ao seu desfecho, quando Will, enfrentando diversas contradições, resolve confrontar seu mentor, mas, claro, sem perder aquele toque do improvável como contexto, uma das marcas de O Monstrologista. E, desta vez, a narrativa se desenvolve a partir da suposta descoberta de um exemplar vivo de Titanoboa, uma serpente pré-histórica que viveu há 60 milhões de anos atrás e que media mais de 15 m de comprimento e 1.500kg de peso.

O próprio autor reconhece que essa série – inicialmente pensada para ser uma obra YA – tomou um rumo completamente distinto do projeto original. A partir daí, a fantasia passou, aos poucos, a ser o pano de fundo para algo muito mais profundo e assustador: um mergulho na escuridão impenetrável da natureza humana nos levando, então, ao fim e ao cabo, à conclusão que nos é que somos o pior e mais temível de todos os monstros. E mesmo assim, a fantasia continua sendo um ponto alto da obra, o que é notável e muito legal.

E, devo dizer, A Descida Final, é um desfecho perfeito, à altura da série: sombria, introspectiva, provocativa, e que nos faz amar e, ao mesmo tempo, odiar, nossos protagonistas. Aqui vemos o caçador virando caça, o aprendiz virando monstro e, tudo isso, dentro de uma profunda reflexão sobre a natureza humana, o que torna a leitura densa, mas, igualmente, única. Faz tempo que não ficava tão impressionado com uma série!

O epílogo nos brinda com uma cena épica, magnífica, e, dependendo da interpretação do leitor, capaz de ser entendida tanto como um ato de redenção como de tragédia. Há ainda a genialidade do autor, Rick Yancey, ao colocar-se como um personagem importante nesta trama nos instigando a refletir a todo o momento sobre os eventos ocorridos: simplesmente, demais.

Por fim, eu disse aqui, em uma das resenhas anteriores, que a série era uma trilogia. E, de fato, assim era. Depois do terceiro volume, Yancey pensou em não finalizá-la, por isso, muitos, inclusive eu, davam por encerradas as aventuras de Warthrop e Will no terceiro livro, A Ilha de Sangue. Mas a pressão dos fãs por um desfecho foi tão grande que não restou opção outra a Yancey senão retomar o projeto … e como valeu a pena! Então, leiam e não se esqueçam de voltar aqui para compartilhar suas impressões que são muito importantes para nosso blog.

Até a próxima resenha!

Anúncios

Sobre Fábio Albergaria

É professor universitário, darwinista convicto, colecionador de livros antigos e, claro, viciado em tudo que tenha papel, tinta e muita imaginação. Brasiliense de nascimento, mas elantrino por vocação.
Esse post foi publicado em Resenhas, Romance, Suspense/Terror e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s