Resenha: Desaparecido para sempre, de Harlan Coben

Título: Desaparecido para sempre

Título original: Gone For Good

Autor: Harlan Coben

Publicação: 2002 (originalmente)

Número de páginas: 366 páginas

Editora: Arqueiro

ISBN: 9788580410099

Nem me lembro quanto tempo faz que li Não conte a ninguém, meu primeiro contato com o trabalho do Harlan Coben, livro que desde já indico, embora eu lembre muito pouco da história em si, mas, sim, do sentimento pós leitura. Infelizmente, Não conte a ninguém não habilitou Harlan Coben entre meus autores favoritos, tendo em vista a falta de qualquer interesse da minha parte em procurar ler os demais livros do autor.

O desinteresse da minha parte nada tem a ver com o autor em si, mas com o fato de suspense/thriller/policial não ser o meu gênero literário preferido, embora eu tenha muitas recomendações de um amigo de facebook. Resolvi voltar a ler o autor depois de receber um email em que a pessoa me indicava dois livros, Desaparecido para sempre, objeto desta resenha, e Não fale com estranhos, cuja leitura será feita em breve.

Em Desaparecido para sempre, Will Klein descobre que seu irmão, Ken Klein, pode estar vivo. Ken é acusado pela morte de Julie, na época ex-namorada de Will. Após a revelação, a vida de Will muda completamente quando se vê perseguido pela polícia e pelos inimigos de seu irmão, Philip McGuane e John Asselta, também conhecido como Fantasma.

Como se vê uma premissa promissora. O autor de fato começa e desenvolve muito bem a historia. Will acaba se revelando um protagonista interesse, através do qual o leitor conhece uma gama de personagens interessantes além dos mencionados acima, em especial Squares. Aliás, caso Harlan escreva algo somente sobre o Squares, eu leria. Que personagem interessante! Com uma história de vida que me comoveu bem mais do que a de Will.

A narrativa tem um bom desenvolvimento, a leitura flui bem, mas achei alguns diálogos bem bobos. Não sei se é do autor mesmo ou por conta da tradução. Prefiro acreditar que seja a inexperiência de certos personagens em determinadas situações, em especial o Will. Portanto, algo proposital por parte do autor.

Ainda falando da narrativa, achei muito boa a maneira do Harlan em conduzi-la dependendo do ponto de vista apresentado. Tem-se, então, os pontos de vista do protagonista, contados por ele mesmo, ajudando o leitor a simpatizar mais com os difíceis momentos do personagem, e os demais pontos de vistas contados em terceira pessoa, dando uma impessoalidade e fazendo com que o leitor passe por um momento menos emocional, portanto, bem mais racional, da história.

Como todo livro desse gênero literário, as reviravoltas são os grandes momentos da trama, embora não totalmente inesperadas para o leitor acostumado a ler livros policiais. Porém, as explicações de certos acontecimentos me pareceram bem fracas, para  não dizer forçadas mesmo. Achei que faltou um pouquinho mais de desenvolvimento do autor, afinal, era o fechamento de algumas pontas soltas. Alguns personagem que mereciam um grande destaque, como o agente Pistillo e o próprio Fantasma, ficaram caricatos demais.

O desfecho que, ao meu ver, poderia ser um momento sentimental, algo visando mais simpatia do leitor em relação ao Will, parecia final de capítulo de um novelão mexicano, faltando apenas os nomes hispânicos duplos.

No geral, a leitura valeu a pena, pois me tirou da minha zona de conforto literária e me fez ler um estilo que eu gosto apenas em filmes e séries de TV, e me fez voltar a ler, depois de tanto tempo, uma obra de um autor consagrado no gênero. Por isso, deixo a recomendação apenas a quem deseja sair um pouco da suas leituras habituais – caso a sua lista não esteja enorme – e para quem realmente é fã do autor ou de suspense.

Agradeço muito a recomendação e lerei o outro livro com certeza.

.:.Até mais, gente!.:.

Anúncios

Sobre Cassy Teodoro

Administradora e resenhista deste digníssimo blog. Aes Sedai da Ajah Verde, Curadora das Crônicas da Torre Branca e fiel ao Lorde Dragão Rand al'Thor.
Esse post foi publicado em Resenhas, Romance, Suspense/Terror e marcado , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para Resenha: Desaparecido para sempre, de Harlan Coben

  1. Maurilei Teodoro disse:

    Gostei deste e outros mais que li do autor, mas em minha opinião os livros policiais de Michael Connelly e Donato Carrisi são mais convincentes !!

  2. Alan Martins disse:

    Já li vários livros do autor, esse é um dos que mais gostei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s