Resenha: Agosto, de Rubem Fonseca

Título: Agosto

Autor: Rubem Fonseca

Publicação: 1990

Número de páginas: 344 páginas

Editora: Companhia de Bolso

ISBN:  9788535906493

No dia 1º de agosto de 1954, um empresário é assassinato em seu apartamento, localizado na cidade do Rio de Janeiro. Próximo desse evento, o chefe da guarda pessoal de Getúlio Vargas, o temido Gregório Fortunato, planeja o atentado que geraria uma crise política na Era Vargas. E no dia 24 de agosto de 1954, chega ao fim a Era Vargas com um dos acontecimentos mais icônicos da história deste país, o suicídio de Getúlio Vargas.

O livro começa com uma narrativa mais lenta, mais arrastada, mas que coloca muito bem contextualizados os fatos da nossa história e os acontecimentos fictícios bem próprios de uma romance/ficção histórico/a.

À medida que os eventos vão sendo narrados e passamos da fase de romance policial – tendo como objetivo investigar o assassinato do empresário – para a fase de romance histórico, a leitura flui mais. O autor mistura muito bem os elementos de ambos os gêneros, sem se descuidar de passar ao leitor uma narrativa bem realista e que faz o leitor praticamente participar de tudo narrado ali.

A narrativa contempla de forma espetacular o trabalho da polícia e a conduta da imprensa. O autor faz questão de mostrar os agentes e jornalistas que tentam, apesar de toda a intriga política, fazer o seu trabalho bem e dentro da ética e a condução de eventos com contornos políticos muitas vezes limitadores dos dois trabalhos. Obviamente temos os funcionários que querem levar vantagens e trabalham se achando acima de qualquer lei.

O desfecho histórico é o fim da chamada Era Vargas, quando Getúlio acaba, de fato, saindo da vida para entrar na História e põe fim ao caos político do seu governo, embora o país nunca tenha saído da situação de caos na política como bem sabemos.

Agosto é um livro recomendadíssimo para os fãs de romance ou ficção histórica e do gênero policial, além de ter uma das melhores narrativas e realismo já apresentados em um livro de literatura brasileira.

.:.Até mais, gente!.:.

Sobre Cassy Teodoro

Fiel leitora de Stephen King. Fã de Supernatural, American Horror Story e filmes de terror. SJW. Green Ajah.
Esse post foi publicado em Ficção Histórica/Romance Histórico, Literatura Nacional, Resenhas, Romance, Suspense/Terror e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixem o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s