Resenha: Les Misérables, de Victor Hugo

Título: Les Miserábles

Título original: Les Miserábles

Autor: Victor Hugo

Publicação: 1862

Editora: domínio público

ASIN: B004GHNIRK

Les Miserábles, ou Os Miseráveis, é um romance histórico que retrata a cidade Paris no período compreendido entre os anos de 1815, período da Batalha de Waterloo, a 1832, ano dos motins de junho. 

A obra é considerada um dos maiores romances franceses do século XIX e também um dos maiores romances já escritos na literatura mundial, pois debate temas como política, religião, ideologia, problemas sociais, humanidade, problemas econômicos, além de fazer uma bela abordagem dos momentos reais da história francesa e aliar os acontecimentos com o cenário escolhido para o desenvolvimento das cenas narradas.

O livro é dividido em volumes, mais precisamente cinco volumes com os nomes dos personagens e acontecimentos que servirão de base para a narração dos eventos de cada capítulo que compõem a obra. Assim, são retratadas, na história, a vida dos personagens, em especial ao do ex-prisioneiro Jean Valjean, que tem a oportunidade de mudar a sua vida, mas é perseguido em boa parte da trama pelo Inspetor Javert, um policial fanático por justiça e que não acredita em reabilitação daqueles que transgridem a lei. De fato, Jean Valjean acaba sendo aquele personagem com maior número de aparições e com quem é bem difícil não se simpatizar.

A história ainda conta com a personagem Fantine, uma mulher batalhadora que acaba se vendo iludida amorosamente e mãe solteira em uma sociedade extremamente conservadora e que não se comove com o seu sofrimento. Ela acaba deixando a filha Cosette, outra grande personagem do livro, nas mãos dos terríveis Thénardie. A pequena Cosette é obrigada a fazer trabalhos domésticos bem pesados para alguém da sua idade a mando da família Thénardie representa aquela família conservadora sem uma pingo de escrúpulo. A Fantine e a Cosette dão título aos volumes I e II, respectivamente.

Outro personagem de destaque é o Marius Pontmercy, um estudante com ideais políticos liberais. O personagem também é título de outro volume do livro, o terceiro. E o autor dedica, ainda, o quarto volume para dois eventos em dois cenários importantes na história: o idílio da Rua Plumert e a epopeia da Rua Saint-Denis.

Por fim, o livro tem como quinto e último volume, aquele intitulado Jean Valjean, embora boa parte da história dele já  tenha sido contada nos volumes anteriores. O volume encerra com chave de ouro o livro, apesar de não chegar a surpreender tanto em relação a alguns dos personagens principais. 

Embora possa parecer de difícil compreensão, a história é bem fácil de entender e os personagens são bem carismáticos. O autor faz questão de mostrar os lados bons e ruins de todos e suas histórias, apesar dos títulos dos volumes do livros, são retratadas de forma entrelaçada e em quase todos os volumes, os personagens principais marcam presença.

O cenário, a cidade de Paris, ganha uma importância bem grande na história, pois cada canto escolhido pelo autor como cenário de um certo evento, combina bem com os ânimos das pessoas envolvidas na cena, bem como retrata o momento histórico relacionado ao evento.

Por essas qualidades e pelo fato de ser uma livro atemporal é que a sua leitura é recomendadíssima.

.:.Até mais, gente!.:.

Sobre Cassy Teodoro

Fiel leitora de Stephen King. Fã de Supernatural, American Horror Story e filmes de terror. SJW. Green Ajah.
Esse post foi publicado em Ficção Histórica/Romance Histórico, Resenhas, Romance e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixem o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s