Resenha: A Senhora da Magia, de Marion Zimmer Bradley

Título: A Senhora da Magia

Título original: The Mists of Avalon – Mistress of Magic

Autora: Marion Zimmer Bradley

Publicação: originalmente em 1983

Número de páginas: 252 páginas

Editora: Imago

ISBN: 9788531210372

A figura do Rei Artur é uma das mais fascinantes lendas não somente da história britânica, mas de toda a história mundial. A ascensão de um rei de natureza pagã em plena  expansão do cristianismo e durante uma guerra contra os saxões, que mudaria a cultura britânica para sempre, é o casamento perfeito entre o misticismo e eventos históricos que já recebeu diversas versões dentro da literatura fantástica.

Uma dessas várias versões, publicada em 1983 é o romance histórico e fantástico, The Mists of Avalon, de autoria de Marion Zimmer Bradley, publicado aqui no Brasil como quatro volumes separados pela editora Imago, sendo o primeiro volume intitulado A Senhora da Magia, em referência ao primeiro tomo do livro original, Mistress of Magic.

A variante desse primeiro volume e dos demais, em relação ao mito Artur é muito pouca, temos o mago Merlin, a Senhora do Lago, Morgana, Lancelot e tantos outros personagens já conhecidos dos leitores. A variante histórica também não é muito diferente do já retratado em outras obras: ex-território do Império Romano; guerra contra os saxões; a ascensão de Artur poder representar uma união entre pagãos e cristãos, mas que na verdade se tornou mais um motivo para o declínio da velha crença.

O diferencial desta obra está nas excelente narrativa e no enfoque buscado por Marion. A autora buscou retratar menos os fatores bélicos e politizados e buscou contar a história de quem sempre é deixado de lado, nos bastidores na maioria dos livros: as mulheres. Além de recriar de uma forma fantástica – com sua própria visão – a ambientação do místico, da velha crença chamada de pagã e de Avalon, local que para os britânicos seria a representação de Glastonbury.

Em A Senhora da Magia, em um primeiro momento da narrativa temos a concepção daquele que seria uma dia o Alto Rei da Britânia, bem como alguns fatos da vida de sua irmã mais velha a jovem Morgana. Ainda: a narrativa mostra a cultura celta, dita pagã e desrespeitada pelos cristãos. Também o embate entre duas irmãs, a rainha Igraine, que se desliga de vez, por questões políticas e de forma aparente, das velhas tradições de seu povo e se alia aos cristão, e Viviane, conhecida como a Senhora do Lago que continua com as tradições e leva sua sobrinha Morgana para Avalon, de forma que a jovem não perca a sua verdadeira cultura e se torne uma sacerdotisa.

Os personagens foram muito bem concebidos pela autora, dentro de sua visão do universo arturiano, unindo de forma muito bem contextualizada as questões históricas, místicas e os temas desenvolvidos dentro da história de vida de cada personagem.

O desfecho dessa interessante história, deixa o leitor ávido pelo próximo volume, pois reúne nova quebra das velhas tradições e a ascensão ao trono daquele visto como o grande salvador das tradições britânicas, Artur.

Livro recomendadíssimo!

.:.Até mais, gente!.:.

Sobre Cassy Teodoro

Fiel leitora de Stephen King. Fã de Supernatural, American Horror Story e filmes de terror. SJW. Green Ajah.
Esse post foi publicado em Fantasia e Ficção Científica, Ficção Histórica/Romance Histórico, Resenhas, Romance e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Resenha: A Senhora da Magia, de Marion Zimmer Bradley

  1. Memórias ao Vento disse:

    Republicou isso em Memórias ao Vento.

Deixem o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s