Resenha: Bloodchild, de Octavia E. Butler

Título: Bloodchild

Autora: Octavia E. Butler

Publicação: originalmente em 1984

Número de páginas: 31 páginas

Editora: Headline

ISBN: 9781472218742

Bloodline é uma novela de autoria da escritora Octavia E. Butler, publicado originalmente no ano de 1984 na Isaac Asimov’s Science Fiction Magazine. Em 1995, fez parte da antologia Bloodchild and Other Stories. Em 2014, a editora Headline resolveu publicar o conto separadamente em versão ebook. 

É o primeiro trabalho da Octavia que eu li e não poderia ser melhor a impressão causada pela autora. A história apresenta de forma muito bem desenvolvida, a relação entre Terrans, fugidos do planeta Terra, e os Tlics, seres insectóides, habitantes do planeta Tlic, em especial, a relaçao entre o Terran Gan, o narrados da história, e a Tlic T’Gatoi.

Os Tlics usam os Terrans como incubadoras de seus ovos, por isso cada família de Terrans deve indicar um membro que será uma incubadora no futuro quando uma Tlic precisar depositar os seus ovos e dar continuidade para a sua espécie. Gan é uma dessa futuras incubadoras e foi escolhido para servir à Tlic T’Gatoi. Todavia, após ver o que aconteceu com Loman, outra incubadora, ele começa fica bastante apreensivo e decide que não quer ter os ovos implantados nele. Quando T’Gatoi decide implantar seus ovos em outro membro da família, Gan toma uma importante decisão sobre o assunto. Decisão essa que vale a pena ler o conto para saber.

O texto trata de temas interessantes. Primeiro o uso do termo engravidado para designar as incubadoras humanas. Segundo, os Tlics preferem engravidar os humanos do sexo masculino, deixando as mulheres para terem os seus próprios bebês e perpetuar a sua própria espécia, claro, mantendo um número razoável de incubadoras. Por fim, a história do Gan mostra a importância das tradições passadas de geração a geração, com membros da família fazendo escolhas por aqueles que ainda não compreendem o mundo em que estão. Se as tradições vão continuar que seja pela livre escolha e não por imposições culturais apenas.

Por fim, a obra foi a vencedora dos prêmios Nebula (1984), Hugo (1985), Locus (1985) e Science Fiction Chronicle (1985), na categoria melhor noveleta.

Obra recomendadíssima!

.:.Até mais, gente!.:.

Sobre Cassy Teodoro

Constant Reader. SJW. Green Ajah.
Esse post foi publicado em Fantasia e Ficção Científica, Resenhas e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixem o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s