Resenha: Nine Princes in Amber, de Roger Zelazny

Título: Nine Princes in Amber

Autor: Roger Zelazny

Publicação: originalmente, em 1970

Número de páginas: 175 páginas

Editora: Avon

ISBN:  9780380014309

Nine Princes in Amber é o primeiro livro da série The Chronicles of Amber, de autoria do escritor Roger Zelazny. O livro marca o começo do Ciclo Corwin, protagonizado por Carl Corey, na verdade, o príncipe Corwin de Amber. 

A premissa é bem simples e serve para todo o Ciclo, Carl Corey acorda em um local desconhecido, sem memória e para saber o que está acontecendo, usa de sua esperteza e descobre a sua verdadeira identidade. A partir daí, ele se vê como um dos nove príncipes a disputar o trono de Amber, após o desaparecimento de seu pai, o rei Oberon.

O interessante, além claro, da habilidades de Corwin para tentar se safar da situação delicada na qual está, é a concepção de mundo criado por Zelazny para o universo da saga. Temos Amber, acima da Terra, como um local real e único real, porém temos diferentes aspectos do mesmo mundo, podendo esses serem manipulados pela família real – família essa cheia de habilidade e dons, narrados na história – conhecidas como Sombras. Também tem-se a presença de seres diferentes dos humanos e que acabam sendo uma adição muito bacana para história.

Apesar disso, o cenário não tem aquele fator bacana de exploração que vemos nos livros mais atuais de fantasia. O autor apenas coloca aquilo necessário para favorecer a cena. Isso se deve ao fato de a história ser narrada pelo próprio Corwin, o que faz com o leitor só tenha conhecimento do que é percebido e contado por ele, diferentemente do que acontece com um narrador onipresente, que tende a mostrar uma expansão da cena, com uma exploração melhor de cenário.

Mesmo assim, é uma excelente história, pois apresenta conceitos diferentes e bem criativos. Claro, considerando a época em que foi publicado o livro e também pelo fato de ter uma narrativa bem mais direta do que o usual para o gênero. Repito, por conta, principalmente, da forma como é narrado, conforme dito acima.

Outra coisa bem interessante, são as referências a situações bem tensas e drásticas da história do nosso mundo real. Isso ajuda a explicar algumas características pessoais do Corwin e melhora a concepção de mundo criado pelo autor. Poderia ter uma exploração mais detalhada, mas foi bem contextualizada pelo autor.

O livro lido para esta resenha foi The Great Book of Amber, que reúne todos os dez livros publicados de 1970 até o começo dos anos 90, portanto, trazendo os dois ciclos da série (com cinco livros cada um), porém, pelo fato de eu escolher resenhar livro a livro, a ficha técnica do começo da resenha (desta e das outras) conterão informações da edição física, na medida do possível, para servir de referência para vocês, caso não queiram/não possam adquirir o livrão com a saga toda.

Por fim, lembro a vocês que é uma releitura e o Ciclo Corwin é o meu preferido, embora alguns conceitos dos livros finais também me agradem, mas releitura funciona para vermos o que deixamos escapar na primeira vez, portanto, vamos ver como vai ser o desenrolar dessa minha volta ao mundo de Amber.

.:.Até mais, gente!.:.

Sobre Cassy Teodoro

Constant Reader. SJW. Green Ajah.
Esse post foi publicado em Romance e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Resenha: Nine Princes in Amber, de Roger Zelazny

  1. Memórias ao Vento disse:

    Republicou isso em Memórias ao Vento.

Deixem o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s