Resenha: O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, de Ransom Riggs

Capa do livroTítulo: O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares

Título original: Miss Peregrine’s Home For Peculiar Children

Autor: Ransom Riggs

Publicação: 2012

Número de páginas: 335 páginas

Editora: Leya Brasil

ISBN: 9788580442670

Galerinha, sabe aquele livro que passa despercebido ao “radar literário”, mas que, por algum motivo, quando nos encontramos com ele, bate aquela vontade irresistível de lê-lo? Pois é, isso aconteceu comigo. O livro objeto da resenha de hoje foi publicado aqui no Brasil, em 2012, pela Leya, mas só acabei descobrindo-o recentemente, e por mero acaso. O sugestivo título logo me chamou a atenção: O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares.

Caramba, pensei comigo mesmo, como deixei esse livro fora da minha lista!? Aí já viu né, comprei o único exemplar disponível na livraria e, rapidinho, ele “furou a fila” de leitura e, por isso, cá estamos nós! E, devo dizer, que bela escolha foi esta estória! Primeiro livro de uma série escrita por Ransom Riggs, O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares não é uma obra-prima, tampouco um candidato a figurar na lista dos top 10 de muita gente. Mas, neste caso, isso pouco importa! Mesmo sem os toques de genialidade que alguns livros trazem, mas ainda assim conseguindo ser marcante, temos em O Orfanato … uma narrativa agradabilíssima, diferente e, por vezes, comovente…uma daquelas leituras para se fazer depois de uma ressaca literária ou sem maiores compromissos, do jeito que eu gosto.

Então, apertem os cintos para mais uma fantástica viagem por um mundo maravilhosamente estranha, porém, inesquecível. Nossa aventura começa quando Jacob, um jovem de 16 anos, sofre uma grande perda familiar: seu avô, Abe, de quem ele era muito próximo. Abe era um idoso praticamente negligenciado por toda sua família, exceto por seu neto. Desde sua tenra infância, Jacob era acostumado com suas estórias fantásticas, do tempo em que Abe era combatente durante a Segunda Guerra Mundial, ou de quando viveu em um orfanato no País de Gales. Mas, as que mais lhe chamavam a atenção eram aquelas sobre as peripécias extraordinárias de um grupo de jovens dotados de poderes muito peculiares que viviam neste mesmo orfanato e das supostas criaturas monstruosas que os perseguiam.

Na medida em que crescia, Jacob foi perdendo o encanto pelas estórias de Abe, afinal, muito provavelmente elas seriam apenas o prenúncio da passagem do tempo que, a seu modo, infligiu impiedosamente uma mente perturbada pelas lembranças da Guerra e pelas duras experiências de uma infância de privações em um orfanato em algum canto remoto do planeta. No entanto, Abe insistia que tudo era verdade e disse a Jacob, pouco antes de sua morte (que, por sinal, foi muito estranha) que ele deveria procurar a Ave em 3 de setembro de 1940. Mas como assim? 1940? Ave? Seriam mais delírios de seu avô?

Lembram-se da estranha morte de Abe a que me referi agorinha? Pois é, este acontecimento foi determinante para o futuro de nosso protagonista nesta trama. Isso porque foi Jacob quem encontrou o corpo dilacerado de seu avô no gramado da casa em que o idoso vivia. A polícia local concluiu que Abe tinha sido morto por animais selvagens que viviam nas cercanias da sua propriedade, que era muito próxima de uma floresta. Mas, naquele fatídico dia, enquanto tentava sem sucesso reanimar Abe, Jacob viu uma figura estranha espreitando às sombras, uma espécie de monstro muito semelhante aos descritos por seu avô em suas estórias: um etéreo. Seria esta uma peça de sua mente por conta da experiência traumática de perder alguém tão estimado? Ou será que as estórias de Abe não eram tão fantasiosas assim?

Em meio ao caos pessoal, Jacob resolve, então, viajar ao País de Gales em busca de respostas. Ao chegar em seu destino, ele encontra as ruínas do antigo orfanato em que seu avô vivera e, ao explorá-lo, ele descobre uma série de registros fotográficos das crianças que ali viveram. Neste momento Jacob percebe que aqueles órfãos, se é que eram reais, poderiam ter sido confinados naquele longínquo recanto do mundo por um motivo muito sério. E o mais intrigante: talvez eles ainda estivessem vivos e, ele, Jacob, poderia ter uma conexão muito mais íntima com esta estória do que ele jamais imaginaria!

Bem, meus caros amigos viciados em livros, esta é a tônica que dá contornos a esta narrativa totalmente inusitada: uma mistura na medida certa de fantasia sombria com ficção científica. Eu achei a estória muito louca, no bom sentido, e algo que achei super legal foi o fato de o autor fazer-se valer de várias fotos de época, todas elas reais, que, em minha opinião, são um show à parte. Com este recurso, ele conseguiu fazer com que seus personagens ganhassem feições palpáveis, o que tornou a narrativa ainda mais tensa e intensa.

O final, dependendo da perspectiva, pode não ser do agrado de muitos leitores, pois ele é demasiadamente linear. Deixe-me ser mais claro: há livros que fazem parte de uma série, mas que tem finais muito satisfatórios como, por exemplo, As mentiras de Locke Lamora ou o primeiro volume de Mistborn. Aqui, este não é o caso, mas nada que tire o brilho da narrativa, afinal, este é apenas o primeiro livro de uma série que promete ótimos momentos de entretenimento. Só esperava que o final desse mais dicas do que viria a seguir mas, novamente, isso, em nada, compromete a estória.

Aos que se interessaram pela série, o segundo volume – Hollow City – foi lançado em 2014 nos EUA e o terceiro – Library of Souls – já está em pré-venda. O problema é que a editora responsável pelos livros de Riggs aqui no Brasil não é das mais confiáveis! Desculpem, mas eu tenho certa implicância com este selo editorial por conta de seu conhecido descaso com vários de seus autores, por isso, tenho sérias dúvidas quanto ao futuro desta maravilhosa séria em terras tupiniquins. De qualquer forma, fica aqui a dica de mais uma peculiar opção de divertimento.

Anúncios

Sobre Fábio Albergaria

É professor universitário, darwinista convicto, colecionador de livros antigos e, claro, viciado em tudo que tenha papel, tinta e muita imaginação. Brasiliense de nascimento, mas elantrino por vocação.
Esse post foi publicado em Fantasia e Ficção Científica, Resenhas, Romance, Suspense/Terror e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Resenha: O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, de Ransom Riggs

  1. Cassy Teodoro disse:

    Fábio, estive para comprar esse livro várias vezes, já está na minha lista desde antes da Leya lembrar que o livro existe e publicá-lo. Nunca entendi por que ainda não li, mas acho que depois da sua resenha, fico mais animada em lê-lo, ainda mais sabendo que as continuação já saiu e o terceiro está em vias de ser publicado.

  2. Fábio Albergaria Queiroz disse:

    Oi Cassy, olha este livro ou você ama ou você odeia. Eu estou, como você viu, do lado daqueles que gostaram bastante. O livro é as vezes tão absurdo e diferente que, ao fugir do comum, se torna único. Além disso, o Tim Burton tem um projeto para adaptar a série para as telonas. Não precisa dizer mais nada né. Greetings from Geneva.

  3. Gustavo disse:

    Não foi essa série que teve os direitos adquiridos pela Intrínseca?
    E ela também tem casos de descontinuar séries, infelizmente.
    Pensando em comprar os 3 livros pela Amazon, quando o terceiro sair em setembro.

  4. Fábio Albergaria Queiroz disse:

    Olá Gustavo. Bem, vc tem razão. Há rumores de que a Intrínseca adquiriu os direitos dos dois próximos livros, o que eu acho muito bom tendo como parâmetro a Leya. Todavia, para evitar confusão, é melhor esperar para ver se os boatos se confirmam. O que há de fato concreto é que a estreia da adaptação do primeiro livro da série para o cinema está previsto para março de 2016! Por isso, creio eu, até lá deveremos ter novidades quanto aos outros livros aproveitando o momento. Agora se vc lê em inglês recomendo muito que compre logo os 3 volumes pela Amazon.

    Forte abraço

  5. Laís Helena disse:

    Eu adoro histórias de fantasmas, e esse livro está há muito tempo em minha lista (mas, não sei por que, tenho receio de comprá-lo). Nem sabia que fazia parte de série, mas agora que você mencionou, fico com medo de investir, gostar e ficar sem as continuações (dado o histórico da editora).

    • Fábio Albergaria de Queiroz disse:

      Olá, Laís! Bem, se os rumores se confirmarem teremos os livros em breve. Eu acho que não haverá descontinuidade por um motivo: o filme referente aos eventos do primeiro livro será lançado em 2016. Se a editora tiver o mínimo de senso de oportunidade, ela lançará os livros para aproveitar o momento favorável. Quanto aos fantasmas, bem, este não é um livro de terror ou um thriller, o que frustrou muitas pessoas que acharam se tratar de uma estória nesta linha (apesar das fotos bem assustadores que compõe a narrativa). Na verdade o livro é uma fantasia bem diferente, logo, se vc gosta de leituras alternativas, que fogem do comum, este livro é uma ótima pedida.
      Recomendo que você dê uma chance ao livro. Eu tive vários dos receios mencionados por você, mas acabei gostando bastante.
      ….e se você ler “O orfanato da Srta. Peregrine” passe por aqui para nos trazer sua opinião,
      Abraço

      • Fábio Albergaria de Queiroz disse:

        Laís, mais uma coisa que esqueci de mencionar. Como você gosta de livros de fantasmas recomendo muitíssimo a leitura de Asylum e Scarlets, da excelente escritora norte-americana, Madeleine Roux. Os livros são maravilhosos (e já foram lançados em português) e fazem parte de uma série que ainda contará com mais dois livros (Sanctum e Catacomb). Ela segue esta temática mais sobrenatural… Fizemos aqui a resenha dos dois livros. Depois de uma olhadinha..acho que vai te agradar bastante.

  6. Pingback: Divulgação: Cidade dos etéreos, de Ransom Riggs | .:.Dragonmountbooks.:.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s